29 de julho de 2005

Um Causo

A mulher de um caboclo sofreu um ataque de catalepsia.
Só que todos, inclusive o médico e o marido,
acharam que a cumadi havia batido as botas mesmo.
Lá praquelas bandas ninguém tinha ouvido falar nesta tal de
catalepsia.
E toca o enterro pela rua abaixo rumo ao cemitério, que ficava a uns
bons par de caminho. Na alça esquerda do caixão ia o marido, todo pesaroso
de tanto chorá. Na direita, um desses cumpadi di fé, o Nho Joaquim. De
repente, Nho Joaquim trupica numa pedra e se desequilibra, fazendo com que
outros perdessem o rebolado. E lá vai o caixão pro chão, abrindo-se. E, para
grande surpresa, a defunta tava viva. Tinha sofrido a tal de catalepsia.
Surpresa e alegria, levaram a dita para casa e, à noite foi uma grande
festa, com banda de música e chope.
Passam-se anos até que um dia a nossa personagem morre de novo. Agora
de verdade. E la vai o cortejo. Na alça esquerda, o pesaroso marido. Na
direita, Nho Joaquim.
Ao se aproximarem do mesmo lugar onde Nho Joaquim havia trupicado, o
marido olha de esgueio para ele:
- Oh, cumpadi Joaquim ! Vê-se desta vez ocê óia onde pisa. Se ocê
trupicá de novo, eu te mato!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, ao comentar, deixe seu nome e/ou e-mail.